Imatge de l'autor

Douglas K. Stuart

Autor/a de How to Read the Bible for All Its Worth

18+ obres 10,125 Membres 45 Ressenyes 1 preferits

Sobre l'autor

Inclou també: Douglas Stuart (1)

Obres de Douglas K. Stuart

Obres associades

The New Bible Commentary (1953) — Col·laborador, algunes edicions1,947 exemplars
Inerrancy and common sense (1980) — Col·laborador — 81 exemplars
Empire in the New Testament: (Mcmaster New Testament Studies) (2011) — Col·laborador — 22 exemplars

Etiquetat

Coneixement comú

Nom normalitzat
Stuart, Douglas K.
Nom oficial
Stuart, Douglas K.
Altres noms
Stuart, Douglas
Data de naixement
1943-02-08
Gènere
male

Membres

Ressenyes

I read most of this one through page 160, but not every single page, and then sampled important aspects of the rest of the chapters. Some chapters had summaries of points covered at the end, though most did not. It is too bad this wasn’t provided with each chapter as it would have been very beneficial. I definitely plan to return to certain chapters as needed when studying the Bible to apply their wisdom.

I wasn’t a fan of the writing style so much and it could be repetitive (mostly I don’t think this book is as accessible for most, and could have been written more simply to make it so). That said, my book is full of flags to reference later.

Also, as a disclaimer for those who might need or appreciate it:

The author somewhat promotes his own view of some issues (opinion of best translation—he was one who helped translate the NIV, egalitarian vs complementarian/women’s roles—he leans toward the former). So if this bothers you (as it seems to have some readers; it didn’t bother me personally), it might be good to know that going in.
… (més)
 
Marcat
aebooksandwords | Hi ha 34 ressenyes més | Jul 29, 2023 |
A reliable guide to reading and understanding the Bible for yourself.
 
Marcat
MenoraChurch | Hi ha 4 ressenyes més | May 5, 2023 |
This book is a how-to guide for interpreting the Bible. It gives some general principles for interpretation, but the bulk of the book walks chapter-by-chapter through the major literary genres of the Bible and explains the challenges of each genre and the necessary principles to study and teach from such texts. A few of the chapters are lacking, especially the one on the Gospels, which focuses too much on the Synoptic Problem, and the one on Revelation, which gives helpful general principles but is lacking in specificity. -JPS… (més)
 
Marcat
stilibrary | Hi ha 34 ressenyes més | Dec 11, 2022 |
CITAÇÕES:
"Ou seja, a maioria de nós assume que, quando lemos, também entedemos o que lemos. Temos também a tendência de pensar que nosso entendimento é a mesma coisa que a intenção do Espírito Santo ou do autor humano."
"Sua Bíblia, que para você é o ponto de partida, seja qual for a tradução usada, é na realidade o resultado final de um grande traablaho de erudição."
"[Deus] escolheu falar suas verdades eternas dentro das circunstâncias e dos eventos específicos da história humana."
"Ou seja: a Palavra de Deus para nós foi primeiramente a Palavra de Deus para aquelas pessoas. Se iriam ouvi-la, isso apenas poderia ocorrer por meio de acontecimentos e em uma linguagem em que elas fossem capazes de entender."
"Em primeiro lugar, é necessário escutar a Palavra que eles ouviram; você deve procurar compreender o que foi dito a eles lá e antigamente (exegese). Em segundo lugar, você deve aprender a ouvir essa mesma Palavra aqui e atualmente (hermenêutica)."
"A razão porque não devemos começar com o aqui e atualmente é que o único controle apropriado para a hermenêutica se acha na intenção original do texto bíblico."
"Queremos saber o que a Bíblia significa para nós - e isso é certo. No entanto, não podemos fazê-la significar o que nos agrada, e depois dar os "créditos" ao Espírito Santo. O Espírito Santo não pode contradizer a si mesmo; afinal, foi ele que inspirou a intenção original. Assim, a ajuda do Espírito é nos conduzir à descoberta da intenção original, e nos orientar nos momentos em que procuramos fielmente aplicar o significado à nossa própria realidade."
"Um texto não pode significar o que nunca significou."
"Estamos convictos de que a principal razão de os cristãos lerem as narrativas do AT de forma tão simplista, encontrando coisas que realmente não existem, é a tendência a 'nivelar' tudo, porque consideram que tudo que Deus diz em sua Palavra é, portanto, uma palavra direta para eles. De forma errada, esperam que tudo na Bíblia se aplique diretamente como instrução para suas próprias vidas individuais."
"O que você pode, ou deve fazer, é obedecer àquilo que Deus realmente conclama você a fazer na Escritura. As narrativas são preciosas para nós porque demonstram o envolvimento de Deus no mundo e ilustram seus princípios e sua chamada."
"A princípio, deve-se notar que quase todos os cristãos bíblicos tendem a tratar o precedente como autoridade normativa até certo ponto. Contudo, raramente isso é feito com consistência. Por um lado, as pessoas tendem a seguir algumas narrativas como padrões obrigatórios estabelecidos, enquanto negligenciam outras; por outro lado, às vezes tendem a estabelecer um padraõ obrigatório, embora haja uma complexidade de padrões dentro do próprio livro de Atos."
"A vinda do fim também significava um novo início - o início da nova era de Deus, a era messiânica. A nova era também se chamava o Reino de Deus, que significava: "o tempo do domínio de Deus". Essa nova era seria um tempo de justiça (Is 11.4-5), e os homens viveriam em paz (Is 2.2-4). Seria um tempo de plenitude do Espírito (Jl 2.28-30) quando então a nova aliança apregoada por Jeremias seria realizada (Jr 31.31-34, 32.38-40). O pecado e a enfermidade seriam anulados (Zc 13.1, Is 53.5). Até mesmo a criação material sentiria os efeitos jubilosos dessa nova era (Is 11.6-9)."
"Em certo sentido, portanto, o fim já chegara. Num outro sentido, no entanto, o fim ainda não chegara totalmente. Era, pois, JÁ, MAS AINDA NÃO."
"Por consequência, quando oramos: 'Venha o teu reino', oramos primeiramente em prol da consumação. No entanto, uma vez que o reino - o governo de Deus - que ansiamos por ver consumado já começou, a mesma oração está cheia de implicações para o presente."
"Sabedoria é a habilidade de fazer escolhas piedosas na vida."
"O AT reconhece, portanto, que algumas pessoas têm mais sabedoria do que outras, e que algumas pessoas se dedicaram de tal forma à obtenção da sabedoria que elas mesmas são chamadas de 'sábias' (hebraico hakam). A pessoa sábia era altamente prática, e não meramente teórica. Interessava-se por conseguir formular tipos de planos - fazer tipos de escolhas - que ajudassem a produzir os resultados desejados na vida."
"Deus dá sabedoria a todos que a pedem. Essa promessa não significa que poderemos nos tornar mais espertos por meio da oração, mas que Deus nos ajudará a sermos mais piedosos em nossas escolhas. se pedirmos."
"Pelo fato de o coração ser descrito como o ponto focal da sabedoria, somos lembrados acerca do lado pessoal da habilidade que pessoas sábias tem (cf 1Rs 3.9,12). O 'coração' no AT refere-se às faculdades morais e volitivas, bem como às intelectivas."
"Uma das formas de uma pessoa aperfeiçoar sua habilidade de fazer escolhas certas é por meio da discussão e da argumentação."
"Nem tudo na vida precisa ser rigorosamente religioso para ser piedoso. Na realidade, Provérbios pode servir de corretivo à tendência de espiritualizar tudo, como se houvesse algo de errado com o mundo básico, material e físico; como se Deus tivesse falado: 'É ruim', ao invés de 'É bom', quando contemplou pela primeira vez o que fizera."
… (més)
 
Marcat
christ_s | Hi ha 34 ressenyes més | Aug 5, 2022 |

Llistes

Potser també t'agrada

Autors associats

Estadístiques

Obres
18
També de
4
Membres
10,125
Popularitat
#2,345
Valoració
4.0
Ressenyes
45
ISBN
80
Llengües
11
Preferit
1

Gràfics i taules